3.800 Estudantes
11/08/2015
Alunos no Museu do Folclore
Os alunos poderão conhecer o trabalho das figureiras por meio de várias peças expostas nas salas São José, Festas e Religiosidade

Alunos de 50 escolas da região vão conhecer arte das figureiras no Museu

Um grupo de aproximadamente 3.800 alunos de educação infantil e ensino fundamental de 50 escolas públicas e privadas da região vão conhecer em detalhes a arte das figureiras do Vale do Paraíba. Os estudantes vão participar das atividades do Mês do Folclore, preparadas pelo Museu do Folclore de São José dos Campos (Avenida Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade).

As atividades serão realizadas de manhã e à tarde a partir do dia 18 de agosto e seguem até 11 de setembro. A programação terá uma visita à exposição permanente do museu (‘Patrimônio Imaterial: Folclore e Identidade Regional), em que os alunos poderão conhecer o trabalho das figureiras por meio de várias peças expostas nas salas São José dos Campos, Festas e Religiosidade.

Um resumo do vídeo ‘Chuva de Anjos’ vai mostrar aos participantes a história e os saberes de algumas figureiras da região, como as figuras são feitas e pintadas; e de onde é tirado o barro, a principal matéria-prima utilizada na confecção das peças.

O vídeo pode ser visto no site do Museu do Folclore ou na própria exposição.

Os estudantes também vão manter contato com figureiros de São José dos Campos, Taubaté e Caçapava, além de visitar uma exposição temporária em homenagem a Maria Benedita dos Santos, mais conhecida como Dona Lili, que morreu em junho deste ano. Eles poderão ver fotos, pertences pessoais e diversas figuras feitas por ela.

“Nosso objetivo, ao escolher este tema, foi destacar uma manifestação marcante da região do Vale do Paraíba e que está presente em nossa exposição permanente, além de homenagear a Dona Lili, que muito contribuiu para a cultura popular da região”, afirmou a folclorista Angela Savastano, presidente do Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), entidade responsável pela gestão do Museu do Folclore.

Mais notícias
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Governança