Saberes e Fazeres
21/09/2015

Carregando imagens...

Feira valoriza produção dos moradores do Campos de São José
Um sentimento de empolgação e satisfação tomou conta de 21 moradores do Campos de São José, que participaram da Feira de Saberes e Fazeres – Trecos e Tarecos, realizada no sábado (19) na área do Parque Alambari, no próprio bairro. O resultado financeiro foi o que menos importou aos participantes, o que valeu foi poder expor e ver valorizado aquilo que fazem. A estimativa é que perto de 150 pessoas passaram pelo local.

Além da venda de produtos feitos pelos próprios moradores (quadros, figuras de barro, artesanatos diversos – entre eles cestaria e instrumentos musicais feitos de material reciclável – bolos e tortas), a feira também contou com a presença de uma dupla de violeiros, moradores do bairro, que ajudou a animar o ambiente durante quase todo o tempo de atividade. Outros quatro moradores ajudaram na organização e seis jovens registraram tudo em fotos e vídeos.

A feira faz parte do Projeto Ecomuseu Campos de São José, desenvolvido pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), com patrocínio da Petrobras. A feira deve ser realizada mensalmente a partir de agora e a de outubro será definida esta semana em reunião com os moradores. “O resultado foi melhor do que imaginávamos e esperamos para a próxima feira um número maior de participantes”, afirmou a coordenadora do projeto.

O projeto visa identificar, estimular e valorizar o patrimônio cultural de cada morador, para que haja uma consciência coletiva de que a responsabilidade pela preservação e desenvolvimento do bairro não é só do poder público, mas também da própria comunidade. A iniciativa tem apoio da Prefeitura, da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR), do Museu do Folclore, da Associação Brasileira de Ecomuseus e Museus Comunitários (Abremc) e Comissão Nacional do Folclore (CNF).

Mais informações pelo telefone (12) 99633-5597, pelo site ou pelo e-mail ecomuseusjc@gmail.com.

Mais notícias
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Governança