Tradição Popular
16/11/2015
O figureiro Magela Borbagatto começou a montar o presépio do Museu do Folclore de São José dos Campos nesta segunda-feira
O figureiro Magela Borbagatto começou a montar o presépio do Museu do Folclore de São José dos Campos nesta segunda-feira

Presépio do Museu do Folclore começa a ser montado por Magela Borbagatto

O figureiro Magela Borbagatto, de Jacareí, começou a montar o presépio do Museu do Folclore de São José dos Campos. Magela foi reconhecido em 2013, pelo Ministério da Cultura, como mestre da cultura popular brasileira. “A experiência de montar, pela primeira vez, o presépio do museu é bastante significativa por se tratar de um convite, no qual a ‘paga’ é a manutenção da tradição popular”, destaca Magela.

 A montagem teve início nesta segunda-feira (16) e a abertura do presépio será no dia 6 de dezembro, às 14h30, com a presença de três grupos de Folias de Reis: Cia de Reis Esplendor do Oriente, Cia dos Três Reis do Oriente (São José dos Campos) e Folia de Reis do Oriente (Jacareí). A data também marca o início do Ciclo de Natal e a comemoração de 18 anos de existência do Museu do Folclore no Parque da Cidade.

 Mais do que uma satisfação pessoal, a montagem do presépio do museu representa um desafio para Magela, que usará apenas as peças da reserva técnica do próprio museu, que têm tamanhos e estilos diferentes. “Pretendo colocá-las numa tradicional gruta feita de papel de ‘pedra artesanal’, sobre estrutura de madeira”, explica.

 Experiência

 Magela montou o primeiro presépio com dez anos de idade, na casa de sua avó paterna, Izabel, que usava imagens de gesso italiano muito antigas, possivelmente compradas pelo seu bisavô no início do século XX. Ele começou como observador e depois passou a ajudar na montagem.

 A partir de 1986, Magela começou a modelar seus próprios presépios e deve ter feito uns 100 tipos diferentes. No período de 1983 a 1988 participou da montagem do grande presépio da igreja matriz de Santa Branca.

 A especialidade atual de Magela Borbagatto é cerâmica figurativa crua ou queimada. Ele trabalhou como artista plástico autodidata em vários setores públicos e privados. Possui um ateliê em Jacareí há 22 anos, onde já ministrou aulas e cursos. Atua em oficinas públicas e projetos de arte. Participou de salões em diversas cidades, tendo sido premiado algumas vezes.

 A montagem do presépio é uma realização da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR), sob coordenação do Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), associação social sem fins lucrativos responsável pela gestão do Museu do Folclore.

 O Museu do Folclore fica na Avenida Olivo Gomes, 100, Parque da Cidade, Santana. Outras informações pelo telefone 3924-7318.

Mais notícias
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Governança