Meio Ambiente
17/05/2016

Carregando imagens...

São José terá plantio de mais de 97 mil árvores ainda em 2016
A Prefeitura de São José dos Campos fará o plantio de mais de 97 mil árvores nas zonas urbana e rural do município até o fim deste ano. Os trabalhos serão coordenados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semea) e Secretaria de Serviços Municipais (SSM).

O plantio em área urbana visa o enriquecimento arbóreo dos bairros em três eixos de atuação. No mais amplo deles, as regionais da SSM plantarão 320 árvores por semana, totalizando 1.280 a cada mês e 10.240 até o fim do ano. A operação teve início em abril e segue até dezembro em locais como região central, Jardim das Indústrias, Jardim Satélite, Santana, Novo Horizonte.

Outra ação da SSM é o Programa “São José Mais Verde”, que atende as áreas com baixo índice de arborização. Serão plantadas 884 árvores, de aproximadamente 2,5 metros de altura, em 80 ruas e avenidas nos bairros Vila das Flores, Jardim Cruzeiro do Sul, Jardim República, Jardim Nova República, Jardim dos Bandeirantes e Jardim Santa Edwiges.

A terceira ação em área urbana será por meio do Programa Revitalização de Nascentes, da Semea. Serão realizados o plantio de 2.100 mudas em áreas de nascentes no Jardim Satélite, Campo dos Alemães, Vista Verde, Pararangaba e Jardim São Vicente. O trabalho envolve o plantio, a conservação e a manutenção das mudas pelo período de 36 meses. O objetivo é promover a recomposição da mata ciliar em áreas de preservação que ficam dentro da cidade.

No ambiente urbano, as árvores influenciam o microclima, contribuindo com a regulação de temperatura, umidade do ar e frequência de chuvas. Melhoram a qualidade do ar, reduzem a poluição sonora e os ventos, fornecem sombra e impedem erosões. Além disso, tornam a paisagem mais agradável. Hoje São José possui 130 mil árvores no perímetro urbano.

“Os plantios em zona urbana vão promover a mudança de paisagem em diversos bairros e este trabalho ganhará força com o plano de arborização urbana, em fase de desenvolvimento”, destacou o Secretário de Serviços Municipais, Antonio Carlos Wolff Nadolny, que comanda interinamente a Secretaria de Meio Ambiente.

Área rural

Na área rural, a Semea concentrará os plantios de espécies nativas nas áreas de preservação ambiental. A ação será realizada a partir da estação das chuvas, em setembro, promovendo a recomposição da mata ciliar ao longo de nascentes e córregos.

A primeira fase do Programa São José Mais Água, de pagamento por serviços ambientais (PSA), com recursos do convênio firmado com a Agência e Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (Agevap/Ceivap), irá se concentrar no plantio de 84.100 árvores na microbacia Ribeirão das Couves, no Distrito de São Francisco Xavier.

A microbacia Ribeirão das Couves faz parte da Bacia do Rio do Peixe, considerada estratégica por fornecer água para o Reservatório Jaguari, um dos principais reservatórios da Bacia do Rio Paraíba do Sul.

A recomposição da vegetação nativa nas áreas de proteção ambiental, que compõem um terço do território municipal, é fundamental para produção de água, o equilíbrio hidrológico, a redução dos poluentes atmosféricos, das condições climáticas, a estabilidade do solo, o controle de enchentes e secas, a produção de alimentos, remédios naturais e outros insumos, além da proteção da biodiversidade.

Além dos convênios firmados, os plantios são financiados com recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente, que recebe verbas de compensação ambiental e de multas por infrações ambientais.

“A viabilização dessas ações é resultado de um trabalho integrado e persistente de planejamento ambiental e articulação institucional, no qual nossos técnicos se debruçam desde o início desta gestão. É uma conquista para o município que vai refletir em melhor qualidade de vida para a atual e as futuras gerações”, destacou o prefeito.

2017

Em 2017, terá continuidade a restauração de áreas de preservação permanente nas nascentes e margens de córregos na Bacia do Rio do Peixe, com o plantio de 126 mil árvores, ampliando a escala de restauração prevista pelo São José Mais Água. Este projeto foi contemplado com recursos do Fundo Nacional de Meio Ambiente e terá a duração de quatro anos.

“Os programas de restauração florestal consistem em um trabalho permanente, que se articula a uma série de outras ações de conservação da biodiversidade, como a formação de corredores ecológicos e a proteção de ecossistemas como o cerrado e a mata atlântica”, reforçou o diretor de planejamento ambiental da Semea.


Mais notícias
Urbanismo e Sustentabilidade
Governança