Visitas em grupo ao Museu do Folclore devem ser agendadas
27/02/2017
Grupo de alunos em visita ao Museu do Folclore
Os grupos de alunos, das redes pública e particular, podem visitar a exposição, biblioteca, brinquedoteca e participar das atividades

Escolas públicas e particulares interessadas em visitar a exposição Patrimônio Imaterial: Folclore e Identidade Regional, do Museu do Folclore de São José dos Campos, devem fazer agendamento prévio pelo telefone 3924-7318. As visitas, neste caso (em grupos), podem ser feitas durante todo o ano, de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e são sempre acompanhadas por mediadores.
 
Além da exposição, as escolas podem conhecer a biblioteca do museu – especializada em cultura popular, com mais de dois mil títulos e um acervo de DVDs, CDs e fotografias – e a brinquedoteca – que dispõe de brinquedos populares produzidos artesanalmente, provenientes de diferentes partes do Brasil. As visitas a estes espaços também ocorrem durante a semana, no mesmo horário.
 
As escolas também são atendidas de forma agendada durante a programação do Mês do Folclore, realizada entre agosto e setembro. No ano passado, as visitas à exposição, biblioteca, brinquedoteca e a participação nas atividades do evento somaram quase 10 mil alunos.
 
As visitas espontâneas à exposição também podem ser feitas nos feriados, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos, das 14h às 17h. Em casos excepcionais, os dias e horários podem ter alteração. No Carnaval e na Quarta-Feira de Cinzas, o Museu do Folclore estará fechado, retomando as atividades na quinta-feira (2), das 9h às 17h.

O museu funciona no Parque da Cidade (Avenida Olivo Gomes, 100, Santana) de terça a sexta-feira e feriados, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos, das 14h às 17h. A visita é gratuita e pode ser feita de forma espontânea ou agendada (escolas e grupos). A gestão do espaço cultural é feita pelo Centro de Estudos da Cultura Popular, organização da sociedade civil sem fins lucrativos, que tem convênio com a Fundação Cultural Cassiano Ricardo.

Mais notícias
Fundação Cultural Cassiano Ricardo