Projeto sobre ecomuseu é selecionado pela Petrobras
13/11/2014

O projeto ‘Ecomuseu: um território, um patrimônio, uma comunidade’, do Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), foi um dos 57 escolhidos na Seleção Pública Comunidades, da Petrobras. Havia 297 projetos inscritos de abril a julho deste ano e 218 foram avaliados e 33 do Estado de São Paulo aprovados. Os projetos têm cunho socioambiental e são voltados para comunidades próximas às unidades da Petrobras nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

A proposta do CEC é implantar um ecomuseu ou museu comunitário no bairro Campos de São José, na região leste da cidade, com a finalidade de salvaguardar os usos e costumes tradicionais dos moradores do local. As ações previstas visam incentivar os ‘saberes’ e ‘fazeres’ da comunidade, bem como estimular o uso sustentável dos recursos disponíveis.

“O ecomuseu propicia a ampliação do campo de possibilidades de construção da identidade. Faz isto ao fomentar no cidadão a consciência do valor de sua cultura. De maneira geral, as ações ecomuseológicas visam o empoderamento do indivíduo para que ele possa exercer de maneira ativa e consciente sua cidadania”, explicou Maria Siqueira Santos, historiadora e coordenadora do projeto.

Conceito

O conceito de ecomuseu está inserido nas discussões apresentadas pela nova museologia, desde a década de 1970. É um modelo que se diferencia do tradicional em três aspectos: em relação ao espaço, conteúdo e público. Resulta de um movimento que possui preocupações de ordem científica, cultural, social e econômica; e se utiliza de todos os recursos da museologia, como coleta, conservação, pesquisa, restituição/difusão e criação.

Enquanto o museu tradicional requer um edifício para exposição do acervo cultural que será apreciado pelo público, o ecomuseu se volta para o território, “musealizando” os objetos de uso cotidiano, contando com a participação colaborativa e criadora dos moradores para sua viabilização. Ele manifesta as relações dos homens entre si e entre a natureza, por meio desse mesmo espaço ao longo do tempo.

O acervo é dinâmico, formado por bens imóveis não construídos, espaços naturais, bens imóveis construídos, bens móveis, objetos que o homem utiliza ou inventa para resolver as questões práticas da vida cotidiana.

Implantação

Diversas ações serão implantadas para alcançar os objetivos propostos como seminários temáticos, oficinas com três segmentos da população (terceira idade, mulheres e jovens), encontros semanais da equipe com a população do bairro para coleta de dados sobre cultura popular, feiras para promoção dos saberes e fazeres da comunidade e formação de um comitê para envolver as lideranças da comunidade nas ações de gestão do Ecomuseu.

Com relação às oficinas, cada grupo trabalhará com temas específicos. Com a terceira idade, o tema será memória, com as mulheres os ‘saberes’ e ‘fazeres’ do cotidiano, com os jovens o tema será educomunicação, em que se produzirá jornal comunitário, blog e documentário sobre o bairro e as ações do ecomuseu. Essas oficinas serão dirigidas por convidados.

Mais notícias
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Governança