Museu Vivo tem músico, crochê e bolo de milho com queijo neste domingo
25/06/2015

Para encerrar o mês de junho, o Museu do Folclore de São José dos Campos (Avenida Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade) realiza mais uma edição do projeto Museu Vivo. No evento deste domingo (28), a partir das 14h, estarão os fazedores Harryson Roberto Oliveira, Alessandra Silva Dias e Maria Nanci Silva, que vão mostrar seus saberes na música, no artesanato e na culinária. A participação do público é aberta.

Harryson Roberto Oliveira (Tom) nasceu em Campinas e aos sete anos fez uma dupla sertaneja com o irmão. Quando adolescente, se encantou pelo rock e chegou a montar uma banda. Com o passar do tempo, a influência da música nordestina, negra e até indígena o levou a compor e fazer seus próprios instrumentos. Hoje, além de tocar, ele se dedica a realizar workshops de ritmos.

Alessandra Silva Dias, paranaense de Telêmaco Borba, é o verdadeiro exemplo de como a sabedoria passa de geração para geração. Ela conta que, ainda criança, sempre viu a tia fazer crochê, mas nunca se interessou em aprender. “Só depois de adulta é que eu pedi que ela me ensinasse e hoje sou eu que ensino uma sobrinha”, relata. Hoje, ela faz peças simples para dar de presente a parentes e amigos.

Maria Nanci Silva nasceu em Conceição das Pedras (MG) e morou em casa de pau a pique na roça até os 20 anos, quando se casou. Foi com sua mãe que ela aprendeu a fazer um bolo de milho com queijo, produzido diariamente para alimentar os ajudantes que trabalhavam com o pai. “O bolo era adoçado com rapadura e o fubá era mais grosso”, conta. Hoje Nanci também faz poesias inspirada em temas rurais de sua infância.

O Projeto Museu Vivo é uma realização da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR) e Prefeitura de São José; e organizado pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), associação social sem fins lucrativos responsável pela gestão do Museu do Folclore.

Outras informações pelo telefone 3924-7318.

Mais notícias
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Governança