Museu Vivo terá jongo, artesanato em bambu e pastel de milho neste domingo
25/09/2015
Pessoas dançando jongo
A música no ‘Museu Vivo’ deste fim de semana vem acompanhada do Jongo, dança de roda de origem africana que utiliza tambores

Os convidados do projeto Museu Vivo, do Museu do Folclore de São José dos Campos, deste domingo (27), serão os irmãos Jairo Fernandes e Vitor Donizetti Fernandes, Laudeni de Souza e Dulcinéia da Silva. Eles vão mostrar seus saberes no artesanato, na música e na culinária, respectivamente. A atividade é gratuita, realizada das 14h às 17h, na área externa do museu (Avenida Olivo Gomes, 100 – Pq. da Cidade).

Os irmãos Jairo Fernandes e Vitor Donizetti Fernandes fazem artesanato em bambu e, embora tenham nascidos em Resende (RJ), juntamente com outros nove irmãos, foi em Baependi (MG) que Jairo, aos noves anos de idade, aprendeu a técnica com um vizinho. Esperto, ele passou a ensinar os irmãos e os seus pais. Logo, toda a família já estava trabalhando com este tipo de artesanato.

A música no ‘Museu Vivo’ deste fim de semana vem acompanhada do Jongo, uma dança de roda de origem africana que utiliza tambores. Quem vai mostrar este saber é o Grupo de Jongo Mistura da Raça, do mestre Laudeni de Souza, natural de Barra do Piraí (RJ), onde cresceu vivenciando esta cultura.

O conhecimento na culinária fica por conta de Dulcinéia da Silva, que neste domingo (27) vai fazer pastel de milho recheado de carne com batata, uma receita que sua avó fazia para vender no Mercado Municipal de Itajubá. Dulcinéia aprendeu a preparar a iguaria observando como sua mãe fazia. Quando ficou viúva, foi a venda do pastel que ajudou a mãe de Dulcinéia criar a ela e seus oito irmãos.

Mais notícias
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Governança