62 pessoas aderem à campanha de doação de córneas em 13 dias
13/06/2017
Neuza Aparecida Cordeiro Rabelo
Neusa Aparecida: “Fiquei um ano e oito meses na fila e estava desistindo quando o médico me ligou chamando para a cirurgia

O Hospital Próvisão e o Banco de Olhos de Sorocaba (BOS) já confeccionaram 62 cartões de doadores de córneas na campanha que está sendo realizada durante a exposição fotográfica Além do que se Pode Ver, no Vale Sul Shopping, desde o início do mês. A exposição acontece até 9 de julho, no subsolo do shopping.

A exposição fotográfica é trabalho e resultado da superação de pessoas com deficiência visual atendidas no Centro de Reabilitação do Próvisão. Além de estimular a adesão à campanha para os cartões, o espaço também divulga o trabalho desenvolvido pelo hospital em São José dos Campos.

Quando a pessoa manifesta o interesse de doação em vida, fica mais fácil para a família autorizar o procedimento, já que o cartão não tem validade como documento. Para fazer a doação de córneas, é necessário que alguém da família da pessoa falecida assine o termo autorizando o procedimento de captação, que é feito na funerária da Urbam pelo BOS. As córneas são encaminhadas para uma fila única destinada aos pacientes de todo o estado por ordens cronológica e clínica. Esse controle é feito pela Central de Transplantes do Estado de São Paulo.

A parceria entre a Urbam, o Próvisão e BOS para captação teve início em abril. Desde então, foram feitas 113 captações, capazes de auxiliar 226 pessoas a voltar a enxergar por meio do transplante.

Neusa Aparecida Cordeiro Rabelo, 72 anos, fez a cirurgia de transplante, por meio de um convênio particular, há uma semana e foi um sucesso. “Fiquei um ano e oito meses na fila e estava desistindo quando o médico me ligou chamando para a cirurgia”, relatou. Acostumada a dirigir e a costurar, ela teve que parar por um tempo por causa da visão comprometida em um dos olhos devido ao uso de medicamentos. “Esta campanha é muito importante, pois tem muitas pessoas que, como eu, já estavam desistindo da espera e poderão ter uma nova chance de voltar à rotina diária normalmente.”

Ela, que perdeu a visão por causa de medicação para reumatismo, aconselha quem precisa fazer a não precisa ter medo da cirurgia de transplante. “Agora vou poder retomar a rotina”, concluiu.

Mais notícias
Saúde
Urbam